Com a palavra Dr. MUNIR JACOB – novo diretor técnico do HSVP

Miúcha Trajano

Fazer parte da história do Hospital São Vicente de Paulo faz do médico Munir Jacob alguém com total legitimidade para falar desta Casa centenária que é um patrimônio ubaense. A história deste médico junto ao hospital é tão importante e por isso não pode ser medida por horas, dias ou anos, mas pela intensidade da dedicação que ele ofereceu a ele nestes 48 anos de trabalho. Agora, à frente do Hospital como Diretor Técnico, ele continua participando desta história com o mesmo afinco e ousadia que sempre fez, porém com um olhar mais dinâmico e moderno fala sobre o novo Hospital São Vicente de Paulo, que traz uma nova diretoria e novos projetos para a população de Ubá e microrregião. Com esta responsável premissa dr. Munir nos mostra os novos planos e ações do HSVP.

1)GR– O senhor poderia nos fazer uma explanação sobre todos os entraves que o Hospital enfrenta hoje?

Dr. Munir – Hoje estamos buscando medidas para superar os desafios que são muitos. Estamos acostumados às dificuldades e tão somente por isso sabemos que não será fácil, mas não iremos nos esmorecer diante de nenhuma dificuldade. Estou há 48 anos trabalhando nesta Casa, sei de suas necessidades e sei também do quanto está nos custando reerguer esta história. Estamos em processo de reorganização

2)GR– Cite alguns serviços de excelência do HSVP

Dr. Munir – O HSVP é hoje uma referência em Nefrologia. Temos o serviço de Hemodiálise, que é um serviço de alta qualidade e referência em toda microrregião de Ubá. Nós estamos investindo muito nesta área e a partir deste ano estamos com um projeto já pronto para serviço de Oncologia, que é um serviço que o tratamento do câncer será feito em Ubá. É até o final do ano estará pronto, se Deus quiser.

3)GR- O novo perfil institucional do HSVP traz uma reestruturação no funcionamento da Casa?

Dr. Munir – Tem um serviço para ser implantado juntamente com a Fundação Cristiano Varela de Muriaé e que o Hospital de Muriaé conseguiu uma extensão de credenciamento para ser implantado no HSVP. Nós vamos iniciar uma unidade para este atendimento, onde faremos o serviço de Oncologia. Esse serviço vai possibilitar que a população de Ubá e toda microrregião não precise ir mais a Muriaé fazer o tratamento de câncer. Isso foi uma bandeira que levantei em 2010 quando fui candidato a deputado e que sempre bati na tecla durante a campanha, que por passarmos muitos anos sem políticos que pudessem nos prestigiar com uma força política para a realização disso. Ubá tinha condições de ter esses serviços. Passado dois anos, a convite de Dirceu para ser vice prefeito, eu passei esta bandeira para ele que a encampou. Porém, nós perdemos a eleição e posteriormente, ele se elegeu deputado e como tal conseguiu que a gente trouxesse esse serviço que será de suma importância para a microrregião de Ubá. Serão beneficiados 28 municípios. Esse serviço de Oncologia vai trazer para o São Vicente um impulso muito grande porque além desse serviço de Oncologia que essas cidades irão encaminhar para Ubá, outros serviços também irão encaminhar de outras especialidades porque aqui vai ser criado um núcleo assistencial.

4)GR– Fale de alguma melhoria que já está sendo realizada no HSVP

Dr. Munir – Além da Oncologia temos também em fase de implantação a UPA – Unidade de Pronto Atendimento, que é um pronto socorro muito bem montado, capacitado para atender urgência e emergência da nossa população.  A UPA já está em fase de construção. Com a oncologia e a UPA vamos ter, com certeza, um importante impulso na qualidade de atendimento.

5)GR– Quais são os projetos e ações que serão consolidadas para um futuro promissor ao HSVP?

Dr. Munir – Vamos investir naquilo que o HSVP tem tradição, que é a cirurgia. O HSVP é um hospital tradicionalmente de cirurgia. Os grandes cirurgiões de Ubá passaram pelo São Vicente e deixaram suas histórias aqui. É um hospital que até hoje se sustenta através das cirurgias. Com o serviço de Oncologia nós vamos trabalhar e passar a ter um serviço que se chama Alta Complexidade. Nós vamos fazer cirurgias pelo SUS atendendo pelo serviço de Alta Complexidade e que, hoje somos obrigados a encaminhar para Muriaé ou Juiz de Fora. Mesmo tendo condições de fazer não podemos fazê-lo porque não somos credenciados para isso. A partir disso vamos trazer mais este benefício para a população de Ubá. Os projetos são muitos, as dificuldades também são. Mas, nós somos acostumados a enfrentar desafios e temos certeza que vamos vencer e para isso contamos com o apoio da população.

6)GR– Para que o HSVP seja uma referência hospitalar o que será preciso?

Dr. Munir – Este hospital é um patrimônio do povo de Ubá que tem um carinho muito grande pelo Hospital e tenho certeza que este apoio ao Hospital não vai faltar por conta da população. Contamos com apoio do cidadão mais simples aos grandes empresários da cidade. O empresariado sabendo que tendo uma unidade de saúde que possa atender a população é bom para ele, para a família dele também, pois não haverá necessidade de se locomover para fora. Nos grandes centros os empresários investem muito nos hospitais, porque sabem que ali tem a garantia de uma assistência boa. Por isso é importante que os empresários voltem os olhos para esta questão, pois nos momentos mais difíceis eles serão atendidos numa emergência e urgência e assim, o Hospital terá condições de atendimento. A exemplo: o que Antonio Ermírio de Moraes fez em São Paulo na Beneficência Portuguesa foi uma coisa maravilhosa. Teve momentos em que ele pagou os funcionários com o próprio salário. Olha no que se transformou a Beneficência Portuguesa! Foi uma grande parceria. Esperamos contar com esta parceira junto aos empresários. Vamos entrar em contato com os empresários de Ubá buscando ajuda, o apoio deles. Juntando essas forças todas vamos conseguir recuperar o HSVP.

 

7)GR– O que a saída das Irmãs de Caridade acarretou para o Hospital?

Dr. Munir: Sem dúvida a passagem das irmãs em 100 anos do HSVP é um trabalho engrandecedor, que merece todo nosso respeito, nossa saudade. Sempre acompanhei o trabalho das irmãs, a dedicação, disciplina, a responsabilidade que elas incutiam nos funcionários, nas enfermeiras. E principalmente o calor humano que elas dedicavam aos nossos doentes. Todos estes trabalho realizado deixarão um vácuo. Mas, infelizmente foi uma decisão da congregação, tentamos através de conversas com as Irmãs Superioras, mas elas alegaram falta de pessoas nos trabalhos de missões. As irmãs trabalhando nas missões as realizações são maiores. A Congregação achou por bem que seria melhor que as irmãs que aqui ficaram fossem trabalhar em missões. Elas eram um símbolo importante e infelizmente nós as perdemos, mas tivemos que respeitar a ordem da Congregação.

 

8)GR– Fale sobre a composição da nova diretoria?

Dr. Munir– A nova diretoria é composta pelo Provedor – Ronaldo Gomes, 1º Tesoureiro Valdeli da Cunha Tavares, 2º Tesoureiro Bruno Groppo Felippe, 1º Secretário Ronaldo Mazzei, 2º Secretário Sr. Antonio Luciano da Costa, Diretor Técnico Dr. Munir Jacob, Diretor Clínico dr. Altivo Sergio de Almeida. Acredito que esta diretoria fará o melhor para que o Hospital tenha sua historia resgatada e volte a ser orgulho dos ubaenses. Nós contamos com a participação da comunidade para este resgate tão importante.